Posts Home

Ver mais posts...

4 novos livros para conhecer em outubro


Se tem uma coisa que a gente ama são livros novos, novas histórias para acompanhar, páginas novas para descobrir. E outubro é o mês de lançamentos de livros fantásticos. Confira os títulos abaixo.


Princesa das Cinzas

Autora: Laura Sebastian
Editora: Arqueiro
A jovem Theodosia tem seu destino alterado para sempre depois que seu país é invadido e sua mãe, a Rainha do Fogo, assassinada. Aos 6 anos, a princesa de Astrea perde tudo, inclusive o próprio nome, e passa a ser conhecida como Princesa das Cinzas.
A coroa de cinzas que o kaiser que governa seu povo a obriga a usar torna-se um cruel lembrete de que seu reino será sempre uma sombra daquilo que foi um dia. Para sobreviver a essa nova realidade, sua única opção é enterrar fundo sua antiga identidade e seus sentimentos.
Agora, aos 16 anos, Theo vive como prisioneira, sofrendo abusos e humilhações. Até que um dia é forçada pelo kaiser a fazer o impensável. Com sangue nas mãos, sem pátria e sem ter a quem recorrer, ela percebe que apenas sobreviver não é mais suficiente.
Mas a princesa tem uma arma: sua mente é mais afiada que qualquer espada. E o poder nem sempre é conquistado no campo de batalha.


O Livro do Hygge - O Segredo Dinamarquês para Ser Feliz

Autor: Meik Wiking 
Editora: LeYa
Best-seller internacional, com direitos de publicação vendidos para 26 países, Hygge – O segredo dos dinamarqueses para uma vida feliz em qualquer lugar apresenta o pilar da vida dinamarquesa e oferece dicas e ideias para incorporá-lo ao nosso dia a dia. A Dinamarca é apontada como o país mais feliz do mundo, e os motivos para isso vão muito além das suas condições políticas e sociais. Os dinamarqueses têm hábitos muito simples e uma maneira particular de ver a vida, que os ajudam a se sentir felizes, não importa o que aconteça. A boa notícia é que tudo isso pode ser importado por qualquer país do mundo, inclusive o Brasil! Meik Wiking, o autor do livro, é CEO do Instituto de Pesquisa sobre a Felicidade, ou seja, sabe muito bem do que está falando. E ele afirma que o segredo da felicidade dinamarquesa é o hygge (pronuncia-se “rôga”), um sentimento de conforto, convivência e bem-estar que pode ser criado em qualquer tempo e lugar.
Em outras palavras, hygge é conforto, clima, presença, prazer, igualdade, gratidão, harmonia, trégua, intimidade e abrigo. É bolo, café, chocolate, vela, livro, árvore e jogo de tabuleiro. Também é cheiro de grama recém-aparada, pele bronzeada, filtro solar, água salgada, churrasco, piquenique e passeio de bicicleta. E, do mesmo modo, é respeito, acolhimento, pertencimento, coletividade e simplicidade.

A grande solidão

Autora: Kristin Hannah
Editora: Arqueiro
Alasca, 1974.
Imprevisível. Implacável. Indomável.
Para uma família em crise, o último teste de sobrevivência.
Atormentado desde que voltou da Guerra do Vietnã, Ernt Allbright decide se mudar com a família para um local isolado no Alasca.
Sua esposa, Cora, é capaz de fazer qualquer coisa pelo homem que ama, inclusive segui-lo até o desconhecido. A filha de 13 anos, Leni, também quer acreditar que a nova terra trará um futuro melhor.
Num primeiro momento, o Alasca parece ser a resposta para tudo. Ali, os longos dias ensolarados e a generosidade dos habitantes locais compensam o despreparo dos Allbrights e os recursos cada vez mais escassos. Porém, o Alasca não transforma as pessoas, ele apenas revela sua essência. E Ernt precisa enfrentar a escuridão de sua alma, ainda mais sombria que o inverno rigoroso. Em sua pequena cabana coberta de neve, com noites que duram 18 horas, Leni e a mãe percebem a terrível verdade: as ameaças do lado de fora são muito menos assustadoras que o perigo dentro de casa.
A grande solidão é um retrato da fragilidade e da resistência humana. Uma bela e tocante história sobre amor e perda, sobre o instinto de sobrevivência e o aspecto selvagem que habita tanto o homem quanto a natureza.


O papa contra Hitler

Autor: Mark Riebling
Editora: LeYa
Escrito pelo escritor e pesquisador Mark Riebling, expert em serviços de inteligência e espionagem, O papa contra Hitler se baseia em transcrições e documentos confidenciais para narrar uma batalha épica e joga luz sobre uma das maiores controvérsias históricas de nossa era: a postura supostamente neutra da Igreja diante do nazismo. Até a publicação de O papa contra Hitler, a história oficial acusava o pontífice Pio XII, ocupante do cargo durante a Segunda Guerra Mundial, de cumplicidade com o Holocausto – chegando inclusive a chamá-lo de “O Papa de Hitler”. Mas uma parte determinante desse episódio ainda não havia sido contada: Pio XII comandou um dos maiores esquemas de espionagem para derrotar o nazismo.
O papa contra Hitler documenta detalhadamente cada lance desse embate perigoso ao narrar episódios tão fascinantes quanto o dos jesuítas armados que roubaram plantas das casas de Hitler e o voo de um editor de livros católico que atravessou os Alpes carregando informações secretas obtidas junto à chefia dos guarda-costas do Führer. Até o guardião da cripta do Vaticano se envolveu com atos de espionagem que frustraram planos de guerra alemães, como o envio de uma pasta-bomba que chegou a ferir Hitler. Ainda assim, os atos secretos de Pio XII silenciaram sua resposta pública ao nazismo: temendo que protestos veementes impedissem suas ações, o papa nunca pronunciou as palavras incendiárias que desejava.



E ai? Qual livro você mais quer ler?

Nenhum comentário:

Postar um comentário