Posts Home

Ver mais posts...

O que Game of Thrones pode te ensinar sobre História


As Crônicas de Gelo e Fogo, obra de George RR Martin, foi, e ainda é, um grande sucesso com seus 5 livros (e mais outros 2 já prometidos). Com a adaptação dos livros para o formato televiso pela HBO, o sucesso de Game of Thrones se tornou uma epidemia mundial. Todos nós acabamos fascinados pelas histórias e reviravoltas que moldam a trajetória dos personagens pelos 7 reinos, e muitas dessas histórias foram inspiradas em fatos e figuras históricas, como alguns dos exemplos a seguir.

  Mapa de Westeros
Westeros com seus 7 reinos tem um formato muito aproximado da geografia do Reino Unido e da Irlanda. George RR Martin apenas inverteu o mapa da Irlanda, colocando-o em baixo do Reino Unido.


  A Muralha
A Muralha de Gelo, que em Westeros protege os 7 reinos dos Caminhantes Brancos, tomou forma na mente de George RR Martin a partir de uma muralha construída pelos ingleses, entre os anos 122 e 126, para impedir a invasões de bárbaros. A Muralha de Adriano (Hadrian's Wall) fica próxima à divisa da Inglaterra com a Escócia.



  Stark x Lannister
A rivalidade que conhecemos entre a casa Stark e a casa Lannister veio da Guerra das Rosas, que aconteceu entre 1455 e 1485 entre as famílias Lancaster e York. Ambas descendiam dos Plantagenetas, e ambas achavam que tinham o direito ao trono da Inglaterra, desencadeando as rivalidades e as batalhas. Os Yorks tinham como símbolo uma rosa branca e os Lancasters, uma rosa vermelha. Por isso o nome de Guerra das Rosas. 


  Casamento vermelho
O Casamento Vermelho na série abalou muita gente com o massacre dos Starks em pleno jantar de casamento. Tal evento grandioso na série foi inspirado em acontecimentos reais e chocantes. Assim como Robb Stark, Eduardo IV, da casa de York, casou-se por amor em segredo, o que ocasionou a revolta de seus aliados durante a Guerra das Rosas. Porém, o Jantar Negro foi o principal alvo de inspiração. Em 1440, na Escócia, com a morte do rei, seu filho de 10 anos foi empossado, gerando disputas entre famílias poderosas pela guarda do menino. O clã dos Douglas acabou por fim conseguindo a guarda do menino rei, e isso os fizeram alvo de conspirações de outras duas famílias. Tal como Walder Frey, William Crichton convidou os Douglas para um belo jantar, no qual fora servido uma cabeça de touro negro. Servir tal prato aos seus convidados era algo que ia muito além de desrespeitoso, pois uma cabeça de touro negro significava a morte na época. Então a chacina se iniciou e os Douglas foram assassinados sob  a falsa acusação de que haviam traído a Escócia.
Outro evento que também inspirou George R R Martin foi o Massacre dos Glencoe. Em 1692, na Escócia, os membros do clã MacDonnald de Glencoe foram assassinados pelos seus anfitriões, o clã Campbell, porque demoraram demais para jurar lealdade ao rei William III.


  Fogo Grego
Muito conhecido na série como fogovivo, arma usada para destruir a frota de Stannis Baratheon na Batalha da Água Negra, e posteriormente, usada por Cersei, para incendiar o Grande Septo de Baelor
O Fogo Grego foi uma arma incendiária real, capaz de queimar mesmo sobre a água, criada pelos bizantinos em batalhas navais no século VII. Sua fórmula era tão secreta que mesmo depois de pega pelos adversários, não sabiam como usá-la ou reproduzi-la. Seus ingredientes até hoje continuam um mistério, porém, rumores dizem que enxofre e resina de pinheiro poderiam estar incluídos.  Relatos asseguram que o uso do Fogo Grego foi responsável pela salvação de Constantinopla em mais de um confronto.


Nenhum comentário:

Postar um comentário