Posts Home

Ver mais posts...

4 séries que saíram melhores do que os livros


Normalmente, não é legal sentar no sofá e ficar horas sem sair da frente da TV para ver adaptações de séries, em vez de sentar e ativar a mente lendo aquele livro no qual as séries foram baseadas. E, sim, claro, elas não existiriam se o livro não tivesse existido primeiro, mas isso não significa que não há adaptações para a TV que são de fato melhores que os livros nos quais elas foram baseadas - não necessariamente porque os livros eram ruins também, mas porque a literatura não é uma forma intrinsecamente superior de contar histórias para a televisão e precisamos parar de fingir que é.

Assim como o filme foi inicialmente tratado como artisticamente inferior ao teatro, e a TV foi inicialmente tratada como artisticamente inferior ao filme, também é inútil fazer afirmações genéricas sobre a superioridade de um meio inteiro sobre o outro. Há livros objetivamente bons e há livros objetivamente ruins. Há programas de TV objetivamente bons e há programas de TV objetivamente ruins. E há coisas que a TV pode fazer como um meio de contar histórias que o filme e/ou os romances não podem, e vice-versa.

Com isso em mente, aqui estão 4 adaptações de televisão que foram absolutamente tão boas (se não melhores que) os livros nos quais elas eram originalmente baseadas.


  Outlander


Este foi difícil de incluir nesta lista porque a série de livros Outlander escrita por Diana Gabaldon é bem viciante, mas isso só prova quão ótimo o seriado se saiu na primeira temporada. Dirigido por Ronald D. Moore (Battlestar Galactica) com música de Bear McCreary e filmado na Escócia, Outlander é lindo de se ver (sério, o departamento de produção e figurinos para este show merece todo o amor), lindamente atuado e com excelentes cenários.


  Shannara Chronicles


Shannara Chronicles, uma série de alta fantasia da MTV baseada na série de livros de Terry Brooks. Shannara, não é o melhor seriado da televisão, mas é uma série divertida, escapista e de grande orçamento. As Crônicas de Shannara não são tão boas quanto Game of Thrones, mas é bem menos estressante de assistir. Ela também é abençoada com um orçamento bem grande para o que é essencialmente uma brincadeira de alta fantasia voltada para adolescentes através da Nova Zelândia. Isso mesmo, é filmado na Terra Média e é estrelado por Slade Wilson. Dado que a série de 26 livros, obviamente, deve muito a Tolkien e não resistiu ao teste do tempo, faz com que a série de TV seja melhor que a série de livros dentro do contexto moderno.



  Pretty Little Liars


Pretty Little Liars caiu nas avaliações em sua sexta temporada, mas ainda é uma das séries mais comentada no Twitter e alvo de obsessão entre os adolescentes. Em suas muitas temporadas, mostrou como o público da TV americana está faminto por séries com mulheres jovens, imperfeitas e multidimensionais, como seus principais personagens totalmente formados. Pretty Little Liars se destaca como uma série de TV, apesar de sua premissa ridícula, porque tem algumas das melhores caracterizações na TV em suas quatro espirituosas e belas protagonista.
Pretty Little Liars é baseada na amizade feminina, e não no romance. Também é incrivelmente consciente do gênero de terror, fazendo constantes referências aos filmes de Hitchcock. Além disso, devido ao seu incrível sucesso, tem sido capaz de assumir estranhos riscos artísticos - como um episódio inteiro em preto e branco inspirado em filme-noir. Pretty Little Liars definitivamente não é para todos, mas superou a (também boa, incrivelmente bem sucedida) série de livros de Sara Shepard, em que se baseia para se tornar um fenômeno da cultura pop.


  Friday Night Lights


Friday Night Lights experimentou todas as formas modernas de contação de histórias na cultura pop e teve sucesso em todas as suas várias encarnações. A história da cultura em torno do futebol texano, começou como um livro de não-ficção de HG Bissinger em 1990, foi transformado em um longa-metragem em 2004 e finalmente se tornou uma série de TV em 2006. Em uma intersecção da subcultura americana que não costuma ter um foco tão crítico e completo, a série de TV era algo especial.
Embora a TV seja um dos principais veículos de cultura de nossa geração - e a mais capaz, em muitos aspectos, de fazer explorações complicadas de ansiedades e questões modernas -, ela tende a manter seu assunto estreito e pouco ambicioso. Friday Night Lights foi diferente, abordando temas como classe, racismo, religião, gênero e comunidade rural de maneiras variadas e cheias de nuances. Muito valiosamente, numa era de anti-heróis no cinismo, a série ousou ser otimista, sugerindo que - embora nossos problemas possam ser sérios e aparentemente intransponíveis - amor, compaixão e comunidade podem salvar a todos nós.


 - Baseado em Collider.

Nenhum comentário:

Postar um comentário